Retrospectiva Baiana da Baviera - 2018

Fim do ano está chegando e com ele, vamos desacelerando o ritmo. É tempo de família, de reflexão. De carregar as baterias para 2019.

 

Esse ano foi muito abençoado para mim, com muitas conversas aqui no blog e com a publicação do meu primeiro livro. Foi um ano difícil para os brasileiros, mas conseguimos abordar certos temas e discutimos com honestidade e respeito. Tenho muito apreço a todas as pessoas que me seguem, conversam comigo, dividem suas experiências e opiniões. Vocês me deixaram entrar um pouquinho na vida de vocês - e por isso fico muito grata!

 

Para concluir o ano, deixo aqui os artigos mais populares de 2018! Espero que gostem! Que 2019 seja abençoado para todos vocês!

 

Um grande abraço,

Manuela (a tal baiana da Baviera)

1. Adeus negatividade! Pequenas e preciosas coisas que aprendi a amar na Alemanha

Quando nos despedimos do nosso país, ainda assim temos o Brasil como ponto de referência. É  normal que, ao  chegarmos num país como a Alemanha, cheia de regrinhas, detestarmos certas coisas.

 

Com o passar do tempo, vemos  esse novo estilo de vida com outros olhos... Assim percebemos que essas novas coisas não são tão ruins. Aliás, muitas delas passamos até a gostar!

 

Nesse artigo, eu exploro quatro coisas que antes eu odiava quando cheguei na Alemanha, e porque eu aprendi a gostar delas.

 

Leia de novo


2. Celebrando a vida sem frescura: o Biergarten (Jardim da Cerveja) na Alemanha

Se tem uma coisa que nós gostamos de cara aqui na Alemanha é o Biergarten!

 

Aqui em Munique é impossível não conhecer pelo menos um, e deliciar-se com uma cerveja fresquinha no verão. É assim que os bávaros (e os alemães também) curtem a vida: sem horários, sem estresse, sem frescura.

 

Se você já foi a um Biergarten, tenho certeza que adorou a experiência. Se ainda não rolou, talvez 2019 seja o ano de conhecer os famosos jardins da cerveja?

 

Leia de novo

3. O pseudo-patriotismo da Copa

2018 foi ano de Copa do Mundo. Mais uma vez, grandes esperanças de ganhar a taça retornaram (apesar do 7x1 da Copa passada).

 

Como sempre, a Copa desperta em nós um sentimento intenso de patriotismo (ou será nacionalismo?). De repente, temos um mega orgulho de sermos brasileiros, vestimos a camisa da seleção e nos esgoelamos a cada gol.

 

Mas será que esse patriotismo é tão escorregadio quanto as caídas do Neymar? O que patriotismo, afinal?

 

Leia de novo

4. Andar com fé

Andar... uma ação tão normal, tão parte do dia a dia do ser humano. Mas com a situação atual do Brasil, perdemos a normalidade de andar por aí. Porque é perigoso, porque temos medo. Mas porque crescemos assim, passa a ser até normal.

 

Na Alemanha, em contrapartida, retomamos esse prazer de andar. Algo que no começo parece até diferente, quase estranho, porque não temos mais esse costume. De andar no centro da cidade, de caminhar simplesmente.

 

É preciso muita fé para andar no Brasil.

 

Leia de novo

5. Imigrantes ou expatriados? 50 tons de significados

Na coluna para o canal Migra Mundo, exploro um tema que correu o globo: existem diferenças entre o que é ser expatriado e imigrante? Existe uma hierarquia entre aqueles que saem de seus países em busca de uma vida melhor?

 

Na questão migratória, nada é simples e tudo é usado como arma política. Porque devemos prestar atenção nos significados de ser imigrante.

 

 

 

Leia de novo

6. 10+ palavras alemãs mundialmente conhecidas

O idioma alemão leva muita gente à loucura. É complexo e cheio de regras (e de exceções). Ainda assim, são várias as palavras alemãs que são tão ricas, que são utilizadas até hoje em diversos idiomas, de Wanderlust até diesel (o combustível).

 

O que muitos de nós não sabem é que até algumas palavras que usamos no nosso cotidiano derivam do alemão (não são muitas, mas ainda assim).

 

Descubra algumas palavras alemãs mundialmente conhecidas!

 

 

Leia de novo

 

7. Uma língua de herança pelo mundo: além do bilinguismo

Muitos de nós investem que nossos filhos falem uma segunda língua. Para brasileirinhos crescendo no exterior, esse problema parece ser automaticamente resolvido. Certo?

 

Não é bem assim. Para crianças com pais brasileiros fora do Brasil, é preciso esforço e disciplina para que o português como língua de herança possa fluir. Nem sempre será algo fácil.

 

Por que pais e mães devem investir tempo e esforço em ensinar o português para seus filhos fora do Brasil?

 

Leia de novo

 

 

8. A alma de Portugal em imagens

Passamos nossas férias de verão na terrinha: Portugal!

 

Além dos pontos turísticos de sempre, vi o Portugal inesperado, às vezes pobre, às vezes rico, alternativo e conservador, alegria e tristeza. Contrastes que não passam despercebidos nesse país tão pequeno e tão encantador.

 

Com minha câmera na mão, captei alguns momentos inusitados, rostos e situações fora do comum. Viaje comigo em imagens que falam mais que mil palavras. 

 

Leia de novo

9. Porque ensinar meninos a serem sensíveis é tão importante quanto empoderar meninas

Muito se fala de feminismo e do empoderamento de meninas. Entretanto, pouco se fala de como educamos meninos para a vida: precisam ser durões, machos. Mostrar sensibilidade e sentimento é sinal de fraqueza. Por quê?

 

Para um mundo mais igualitário entre homens e mulheres, precisamos empoderar meninas, assim como ensinar que garotos também podem se emocionar. Que meninos podem sim mostrar sentimentos. Precisamos redefinir feminilidade e masculinidade. Uma reflexão de uma mãe de menino que não é menos menino quando chora ou se emociona.

Leia de novo

10. Aprendizados de uma imigrante

Em 2018 completei treze anos morando na Alemanha.

 

Quando esses aniversários surgem, eu olho para trás e pergunto: o que aprendi em todos esses anos? Como eu mudei? 

 

De uma coisa estou certa: ainda tenho muito a aprender e a mudar... Assim nós começamos um novo ano, sempre com novos aprendizados.

 

Leia de novo


Gostou do artigo? Siga a Baiana da Baviera


Receba novidades por email! Inscreva-se: