Combate ao Winter Blues 101

Winter Blues (pode ser traduzido para depressão sazonal de inverno) é um dos maiores desafios para quem desbrava a estação mais fria do ano. Não só para nós brasileiros, geralmente acostumados com o clima quente, mas para os nativos também. Não é um período fácil: depois do ano novo, principalmente, os dias tendem a ficar ainda mais curtos e frios. Porque nosso relógio biológico é controlado pela luz solar, a falta dela pode causar uma produção maior de melatonina, hormônio ligado à depressão. Por isso, é comum que o corpo não sinta a falta de luz e calor, além do isolamento social de ficar em casa com mais frequência. Para muita gente isso traduz no winter blues, causando sonolência, cansaço, falta de energia, tristeza, irritação e até fome além do normal (principalmente para o consumo de carboidratos e doces).

 

Para viciados em sol como eu, a vontade é grande de hibernar durante o inverno e só acordar na primavera. Quem nunca ficou com aquela preguiça de sair de casa e desmarcou um encontro com os amigos para ficar debaixo das cobertas? (eu já!). Mas como não somos ursos, o jeito é aprender a curtir o lado bom do inverno e sacodir o winter blues. Mas como? Eis algumas dicas!

Faça chuva ou faça sol: saia de casa

Eu sei como é difícil sair de casa quando o tempo está frio. Às vezes precisamos de muita força de vontade para pôr camadas e camadas de roupa e desbravar as ruas geladas. Mas é preciso! Se estiver sol, faça questão de sair, pois estocar vitamina D faz uma diferença enorme. Mesmo que o tempo não colabore, aproveite para fazer coisas que você geralmente não faria quando o sol está a pino: vá a um museu, ao cinema, ao teatro, a uma exposição de arte. Se o seu orçamento permitir, viaje para algum lugar mais ensolarado para abastecer o corpo com luz e calor. Estímulos e diversas fontes de alegria vão te ajudar a sair do marasmo invernal.

 

Até surfar no inverno é possível! Sair de casa é essencial no inverno.

 

O consumo adicional de vitamina D durante o inverno também é recomendado. Alguns médicos até sugerem checar uma possível deficiência da poderosa vitamina D.  Discuta com o seu Hausarzt (médico de casa) ou um médico geral se esse é o seu caso.

 

Terapia de luz

Porque o nosso relógio biológico é regulado pela luz do sol, terapia de luz pode ajudar a manter energia. Mesmo quando está escuro lá fora, o corpo sente que o dia acordou com a ajuda da terapia de luz. É claro, não é a mesma coisa e é um investimento, mas para quem realmente sofre com a escuridão dos dias, vale a pena.

 

Digo por experiência própria: utilizo com frequência uma lâmpada para terapia de luz ao acordar e sinto que ajuda o corpo a sair da letargia das manhãs teimosamente escuras!  

 

Aproveite as delícias da estação – mas com moderação

Os que detonam nas calorias em fases de frustração logo sentirão o apetite abrir durante o inverno. E não é à toa, pois o corpo pede mais calorias e deseja mais carboidratos e doces. O inverno alemão tem lá as suas delícias principalmente na época natalina, como ganso assado com Knodel e biscoitinhos. No carnaval, já à beira do término oficial do inverno, o Berliner (ou Krapfen) com certeza contribuirá para o consumo extra de calorias.

 

 

São muitas as delícias invernais. Aproveite-as, mas sem exagerar!

 

Mas não entre pânico: deleitar-se com essas tentações sem culpa é possível. É tudo uma questão de moderação. É claro, para alguns é difícil evitar enfiar o pé na jaca, mas quando a primavera chegar, você vai agradecer não ter caído de boca em todas as delícias da estação.

 

Mexa-se!

Ora, é claro que às vezes a vontade de devorar uma barra de chocolate vai te invadir. Para balancear as tentações e manter-se com energia mesmo nos dias escuros, o jeito é exercitar-se. Além disso, atividade física libera endorfina e dopamina, dois neurotransmissores aliados no combate à depressão.

 

Andar de bicicleta no inverno? Ótimo para aquecer o corpo e o coração.

 

Para muitos, basta pegar os esquis e descer as montanhas no fim de semana, patinar no gelo ou fazer alguma caminhada no meio do nada. Para aqueles que não curtem esportes que envolvem gelo e neve, existem outras alternativas. Eu, por exemplo, adoro correr durante o inverno e sentir o vento no rosto (é claro, se as temperaturas não estiverem extremamente baixas). Para quem prefere movimentar-se no quentinho, academias de todos os preços estão à disposição. Ou, para os que nem desejam sair de casa, até aplicativos como Gymondo ajudam a tomar gosto pelo exercício sem a inconveniência de pegar frio. O que não falta são alternativas; até uma caminhada de quinze minutos já ajuda o cérebro a produzir as substâncias necessárias para você assustar a preguiça.

 

Invista em roupas apropriadas para o exercício ao ar livre, caso seja essa sua opção. Se você tem equipamento de ginástica em casa, como esteira, faça o seu exercício perto da janela para você estar mais perto da luz do sol.

 

Mantenha-se ocupado(a)

Uma das coisas que eu mais gosto no inverno é a sensação de que eu posso aproveitar esse tempo menos intenso para pequenos projetos. No fim de ano, sempre que não estamos viajando, eu aproveito para fazer uma bela arrumação nos armários, reunir coisas que não usamos mais para doar, etc. Se eu desejo fazer algum projeto em casa, como comprar um novo sofá, mudar coisas de lugar, dentre outros, eu aproveito os dias em casa para resolver isso. Aproveitamos para colocar a papelada em dia, fazer planos para as férias, organizar álbuns de fotografias e é claro, escrever.

 

Assim fica tudo organizado para a primavera, quando os dias ficam mais longos e menos frios, tornando nossos dias mais intensos novamente.

 

Abrace o inverno

Inspire-se nos escandinavos (e alemães) e abrace o inverno. Mais do que uma estação que deve suportada, o inverno pode ser curtido e divertido. Mesmo que seja difícil para a maioria de nós brasileiros, o jeito é ver o lado aconchegante do inverno – e curti-lo o máximo possível. Por exemplo, quem não ama tomar um chocolate quente debaixo das cobertas? Ou colocar a leitura em dia? Dormir até mais tarde então... tão bom!

 

Saia de casa, mas também aproveite o seu cantinho. Tudo é uma questão de equilíbrio para sobreviver – e viver – durante o inverno.


Gostou do artigo? Siga a Baiana da Baviera


Já conhece a obra Ventos Nômades?

 

Viaje pelo mundo com dez contos que cruzam continentes, exploram o choque de culturas e novos horizontes além das fronteiras tupiniquins.

 

Você largará tudo em busca do sentido da vida com Guilherme até chegar ao mais antigo templo do sudeste asiático. Com uma americana à beira da morte, receberá um sopro de vida na ilha grega de Creta. E se embrenhará junto com dois amigos nos segredos judaicos de Praga.

 

Ventos Nômades é um convite a viajar pelo mundo!